sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Consulta!!! #1

Resumo dos episódios anteriores: no dia do parto estava a pesar 90 kg, passado 1 semana tinha perdido 15 e estava a pesar 75 kg. Foi muito peso perdido em pouco tempo e não ajudou à recuperação, que já estava a ser difícil.

Tal como esperava, entretanto recuperei algum peso e ontem a balança marcou 80, 1 kg.

Temos, por isso, um novo plano, adaptado às minhas condições, preferências e ao facto de ainda estar a dar de mamar em exclusivo.

Era mesmo este o click que precisava, depois do 1º mês de hipopressivos!



NOVO PLANO



PEQUENO-ALMOÇO
1 iogurte magro
1 fatia de pão escuro (de preferência, sem trigo)
1 fatia de fiambre de perú 
ou 1 colher de chá de compota


MEIO DA MANHÃ
1 iogurte magro
1 peça de fruta


ALMOÇO
2 conchas de sopa de legumes sem batata
Prato dividido em 3 



1/3 Arroz, batata ou massa e não se pode repetir
1/3 Carnes brancas/ Peixe/ Ovo
1/3 Saladas e Legumes, pode-se repetir

1 peça de fruta (ver AQUI )
1 gelatina Royal 10 Kcal


LANCHE 1
1 peça de fruta
1 queijinho A Vaca que Ri  
ou 1 queijo flamengo baby  
ou 2 fatias queijo flamengo magro


LANCHE 2
 15 amêndoas/avelãs/cajus/amendoins sem sal


JANTAR
O mesmo que o almoço


Ressalva!
1 refeição livre por semana
2 lt de água por dia
Caminhadas pelos menos 3 vezes por semana!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

História e Receita do Bolo Red Velvet

Acabo de vir de uma sessão de hipopressivos, mas nem assim resisto a deixar aqui a receita do bolo de anos deste ano: Red Velvet Cake.

Todos os anos gosto de fazer um diferente e há muito tempo que queria experimentar este bolo, que tanto se ouve falar. 

A história tem muita graça: durante a Grande Depressão, nos EUA, com o racionamento dos alimentos, os chefes de pastelaria começaram a usar a beterraba como fonte de açúcar e sabor para o seus bolos, características às quais acrescia ainda uma outra muito importante: a cor encarnada.

Assim, o Hotel Walforf Astoria, apercebendo-se do sucesso deste tipo de bolos, criou esta versão mais sofisticada que...não leva necessariamente beterraba.

Não deu tanto trabalho como esperava. Na verdade, foi bem simples. No meu caso, usei corante encarnado (foi só um dia!) e optei por fazer a cobertura simples de chantilly caseiro, em vez da de cream cheese.

De qualquer forma, a receita completa está AQUI.

O resultado? Amaziiing!!!!! Realmente tem uma textura aveludada, húmida, deliciosa, e, claro está, é encarnado!


Os bolos não ficaram perfeitos e partiram um pouco porque estava cheia de pressa e desenformei-os ainda quentes, e ficaram com as "rugas" do papel vegetal! Mas não se notou nada!




Corações encarnados só porque sou muito pirosa e gosto destas coisas


Quando me lembrei de tirar fotografias, já ele estava semi-destruído. Mas yummmi



sexta-feira, 20 de setembro de 2013

sábado, 14 de setembro de 2013

VFNO

  Girls night out e way to go para a baby A. que aos 4 meses teve a sua primeira saída à noite...com a mãe e as (ricas!) tias.

Muito álcool, macarrons, palmiers e coisas que fazem mal, mas que depressa se esquece.

Top este ano: Rua Castilho e, no Príncipe Real, a Loja Real! GOSTEI!

O Chiado sem se conseguir ver o chão e a Avenida da Liberdade, tirando um ou outro spot, poderia estar mais animada.

Muitíssimo out: música demasiado alta, DJ vs DJ em espaços contíguos que só dava vontade de desligar o gerador! E música demasiado alta em espaços pequenos e fechados! Qual é a ideia de virmos de uma rua animada e entrar num restaurante para comer uma salada e parecer que estamos numa discoteca, sem conseguir conversar, sequer?


Tinha o firme propósito de tirar fotografias muito giras, mas depressa desisti: ainda assim, fica a amostra.







terça-feira, 10 de setembro de 2013

Summer Review

Férias top, com muito trabalho, mas também muitos bons momentos passados em Família, a 4 - nós e elas -, como deve ser.

Pequenos-almoços proibitivos mas, para compensar, abuso de peixe grelhado e saladas nas refeições grandes.

E Setembro já aí está, e o trabalho também, again.

Humpf!



sábado, 7 de setembro de 2013

O meu novo segredo: Ginástica Hipopressiva

Et voilá!! Agora conto-vos tudo.


À parte do peso, não fiquei com sequelas indesejáveis no primeiro parto. A nível de barriga, ao fim de 15 dias já estava no sítio, e apesar de estar mais gordinha não era nada de anormal.

Neste segundo parto, contudo, foi bem diferente e a barriga foi quem saiu mais prejudicada.
Continua com aspecto de inchada, grande, e tenho a certeza que na rua passo por alguém que já está à espera de bebé outra vez.

Fui procurar soluções e sabia que a ginástica normal e uma alimentação equilibrada não seriam suficientes para acabar com a barriguinha.
Por uma boa coincidência, fui parar a uma consulta com a Fisioterapeuta Estefania Garcia, que me fez uma avaliação e sugeriu, para o meu caso, o Método Hipopressivo.

Nome estranho? Sem dúvida. Mas já tinha ouvido falar aqui no blog da querida Rita, e bem! E diz quem já os fez que os resultados são rápidos, bons, e a longo prazo!

Para explicar melhor, a Estefania Garcia, pioneira do Método em Portugal, deu esta mini-entrevista à Dieta da Cate: 



1. Como, onde e quando nasceu o Método Hipopressivo?

Encontramos a origem destas técnicas na Fisioterapia Uro-ginecológica dos anos 80, quando o Dr. Caufriez tentou encontrar uma técnica de tonificação muscular benéfica para a faixa abdominal, evitando os conhecidos efeitos negativos sobre o pavimento pélvico. O Dr. Caufriez e os seus colegas repararam que aquelas mulheres que após o parto recuperavam a sua forma física nos ginásios, apareciam na sua consulta com problemas funcionais tais como incontinência urinária, hérnias vaginais, abdómen proeminente e com grande afastamento dos rectos abdominais, etc. Assim, de forma empírica começou a trabalhar com base em exercícios posturais e que criavam uma "aspiração diafragmática".



2. Em quê que consiste o Método Hipopressivo?

Trata-se de exercícios que englobam posturas e movimentos que visam a diminuição da pressão nas cavidades torácica, abdominal e pélvica, combinado com uma respiração específica que cria uma activação reflexa da musculatura da faixa abdominal e do pavimento pélvico.



3. Quais os benefícios?

Os benefícios são:

- Diminuir o perímetro da cintura;

- Normalizar o esquema corporal e emocional; 

- Prevenir a Incontinência Urinária e a descida de órgãos internos; 

- Melhorar a função sexual em mulheres e homens pelo incremento da vascularização na zona do pavimento pélvico;

- Incrementar a capacidade anaeróbica e o rendimento desportivo;

- Diminuir o risco de lesões articulares ou musculares devido à prática desportiva;

- Evitar hérnias abdominais, inguinais e discais.



4. A quem se destina o Método Hipopressivo?


Qualquer pessoa em geral pode obter os benefícios com a sua prática.

- Está especialmente recomendado em mulheres na Recuperação após o parto e/ou disfunções do pavimento pélvico.

- Mulheres e homens que queiram melhorar a postura e melhorar a estética

- Desportistas de rendimento para melhorar as suas capacidades físicas e respiratórias

- Para a prevenção e recuperação de lesões articulares, musculares, de coluna, etc.




Até agora tive 1 aula e algumas preparações e as minhas impressões são estas:

- Está-se praticamente 30 minutos quase no mesmo sítio, a fazer os exercícios nas posições certas, e sai-se de lá como se tivéssemos corrido a maratona. Ui, se cansa!

- A maior parte das vezes ainda não consigo fazer a apneia nos tempos desejados, porque são muitas coisas para assimilar: crescer, joelhos descansados, duplo queixo, força nos braços contra o chão, olhar para a frente, apneia, abrir as costelas, etc, e as posições são muuuuito difíceis de aguentar

- Em menos de uma semana perdi 1 cm de perímetro abdominal

Vou continuar a postar informações sobre este método ao longo das próximas semanas, para que possam conhecer melhor esta técnica e fazendo os updates da minha evolução no domínio dos abdominais hipopressivos.

Estou super motivada e tenho um feeling que isto vai correr muito bem!






domingo, 1 de setembro de 2013