terça-feira, 13 de agosto de 2013

Aditivos Alimentares: os "E"

Quase que poderia dizer que não há programa do Dr. Oz em que não fale mal dos "E". 
Não que seja assídua espectadora destes programas, mas a verdade é que a minha impressão não era a melhor sobre este tipo de ingredientes.

No outro dia, numa ida ao supermercado, decidi ver que produtos consumíamos habitualmente e tinham estes "E" no seu rol de ingredientes. Pois a surpresa foi mais que muita: cerca de 70 % dos produtos que consumimos têm estes "E". 

Até o pão fresco!! Não há pão fresco que não tenha este elemento!!

Mas afinal, de quê que isto se trata?

Fonte: www.familieseatingbetter.com



Os "E" são a designação comunitária para aditivos alimentares. 
Os aditivos alimentares são produtos, químicos ou naturais, que adicionados aos produtos melhoram alguns dos seus aspectos, podendo até mesmo criar novas características, que um determinado produto não teria por si só. Servem para conservar, colorir, intensificar o sabor, alterar a textura...A legislação europeia define-os assim:
"Qualquer substância não consumida habitualmente como género alimentício em si mesma e habitualmente não utilizada como ingrediente característico na alimentação, com ou sem valor nutritivo, e cuja adição intencional aos géneros alimentícios, com um objectivo tecnológico, na fase de fabrico, transformação, preparação, tratamento, embalagem, transporte ou armazenagem, tenha por efeito, ou possa legitimamente considerar-se como tendo por efeito, que ela própria ou os seus derivados se tornem directa ou indirectamente um componente desses géneros alimentícios"

Podem-se dividir em várias categorias: espessantes, corantes, conservantes, antioxidantes, reguladores de acidez, agentes de tratamento, emulsificantes, edulcorantes, entre muito outras mais.

A sua utilização nos bens de consumo é regulamentada e vigiada pela UE e pelos organismos de Segurança Alimentar de cada país. Ainda assim, é importante chamar a atenção para alguns aspectos:

1. Muitos destes aditivos têm origem natural e são super-concentrados de um composto natural. Ora isto não significa que seja inofensivo para o organismo. Por exemplo, o glutamato monossódico, um composto naturalmente presente no tomate maduro, quando consumido assim não tem qualquer efeito nocivo para o organismo; já quando consumido sob a fórmula concentrada muitas vezes utilizada em vários produtos para intensificar o sabor, pode ser prejudicial;

2. Há certos aditivos alimentares, especialmente corantes, que são particularmente nocivos para as crianças e estão presentes em muitas coisas que lhes damos: bolos, gomas, rebuçados, etc. Pode ler mais aqui

3. Alguns aditivos que devemos evitar:

Vermelho allura AC E129
É usado generalizadamente como corante alimentar, em snacks, molhos, conservas, sopas, vinho, cidra, etc.
Evite-o se o seu filho tiver asma, rinite (incluindo febre dos fenos) e urticária (uma erupção alérgica de pele).

Amarante E123
É usado generalizadamente como corante alimentar em compotas, geleias e decorações para bolos.
Evite-o se o seu filho tiver asma rinite, urticária e outras alergias.
Foi proibido nos EUA.

Aspartame E951
É usado generalizadamente como adoçante em snacks, doces, sobremesas, alimentos de «dieta».
Pode afectar as pessoas com fenilcetonúria. Relatos recentes mostram a ocorrência de dores de cabeça, cegueira e ataques, devido à toma de aspartame em doses elevadas e durante muito tempo.

Ácido Benzóico
E210
É usado generalizadamente como conservante em muitos alimentos, incluindo bebidas, produtos com pouco açúcar, cereais e carnes.
Pode inibir temporariamente a função das enzimas digestivas e pode esgotar os níveis de glicina. Deve ser evitado por quem tem problemas alérgicos, como febre dos fenos, urticária e asma.

Negro brilhante BN
É usado generalizadamente em bebidas, molhos, snacks, queijo.
Deve ser evitado por quem tem problemas alérgicos, asma, rinite, urticária, etc.

Butil-hidroxianisol (BHA) E320
É usado generalizadamente como conservante, especialmente em alimentos que contêm gordura, como chocolates e carnes.
A Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Cancro (International Agency for Research On Cancer) diz que o BHA é possivelmente um agente cancerígeno para os seres humanos. O BHA interage também com os nitritos para formar químicos conhecidos como mutagénicos, (i. e. que causam alterações no ADN das células).

Benzoato de Cálcio E213
É usado generalizadamente como um conservante em muitos alimentos, incluindo bebidas, produtos com pouco açúcar, cereais e carnes.
Pode inibir temporariamente a função das enzimas digestivas e pode esgotar os níveis do aminoácido glicina. Deve ser evitado por quem tem febre dos fenos, urticária e asma.

Sulfito de Cálcio E226
É usado generalizadamente como conservante, numa grande variedade de produtos – desde hambúrgueres a biscoitos e desde cogumelos congelados a polpa de rábano picante.
Nos Estados Unidos os sulfitos foram banidos de muitos alimentos, incluindo a carne, já que fazem produtos mais antigos parecerem frescos. Podem causar problemas de brônquios, rubor na pele, pressão sanguínea baixa, sensação de formigueiro e choque anafiláctico. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) recomenda a quem sofre de asma brônquica, problemas cardiovasculares, respiratórios ou enfisema que evite este produto.

Glutamato monossódico E621
É usado generalizadamente para intensificar o sabor.
Pessoas sensíveis ao glutamato monossódico já sentiram os seus efeitos, incluindo pressão na cabeça, ataques, dores no peito, dores de cabeça, náuseas, sensações de ardor e de tensão na face. Muitos produtores de alimentos para bebés deixaram de adicionar glutamato monossódico aos seus produtos.

Ponceau 4R E124
É usado generalizadamente como corante.
Quem sofre de asma, rinite ou urticária podem sentir um agravamento dos seus sintomas após consumir um alimento contendo este corante.

Benzoato de potássio E212
veja o benzoato de cálcio (atrás).

Nitrato de potássio E249
É usado generalizadamente como conservante em carnes curadas e enlatadas.
Pode diminuir a capacidade de transporte de oxigênio do sangue; pode combinar-se com outras substâncias para formar nitrosaminas, que são cancerígenas; e pode ter um efeito atrofiante na glândula supra-renal.

Para-hidroxibenzoato de propilo, parabeno de propilo, parabeno E216
É usado generalizadamente como conservante em cereais, snacks, patê, carnes e chocolates.
Os parabenos têm sido identificados como causa de dermatite crónica em muitas situações.

E954
É usado generalizadamente como adoçante, encontrado em produtos de dieta e sem açúcar.
A Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Cancro concluiu que a sacarina é possivelmente cancerígena para os seres humanos.

Metabissulfito de sódio E223
É usado generalizadamente como conservante e antioxidante.
Pode provocar asma grave e potencialmente fatal – uma mulher desenvolveu asma grave após ingerir uma salada com um molho de vinagre contendo E223.
Sulfito de sódio E221
É usado generalizadamente como conservante no fabrico do vinho e outros alimentos processados. Também tem sido encontrado em carnes moídas.
Os sulfitos estão associados a ataques de asma. A maioria dos asmáticos é sensível aos sulfitos nos alimentos.

Cloreto de estanho E512
É usado generalizadamente como antioxidante e agente de retenção de cor em alimentos enlatados e engarrafados e em sumos de fruta.
Já foram relatados casos de envenenamento agudo após a ingestão de sumos de fruta contendo concentrações de estanho superiores a 250 mg/l – causa náuseas, vómitos, diarreia e dor de cabeça.

Dióxido de enxofre E220
É usado generalizadamente como conservante.
O dióxido de enxofre reage com uma grande variedade de substâncias encontradas nos alimentos, incluindo as várias vitaminas essenciais, os minerais, as enzimas e os ácidos gordos essenciais. As reações adversas mais comuns aos sulfitos são os problemas brônquicos, especialmente naqueles que têm tendência para a asma. Outras reacções adversas podem incluir a hipotensão (baixa pressão sanguínea), rubor, sensações de formigueiro e choque anafiláctico. A OIT diz que deve evitar o E220 se sofrer de conjuntivite, bronquite, enfisema, asma brônquica ou doenças cardiovasculares.

Amarelo-sol FCF E110
É usado generalizadamente como corante.
Estudos em animais indicaram atraso no crescimento e perda de peso grave. As pessoas com asma, rinite ou urticária devem evitar este produto.

Tartarazina E102
É usado generalizadamente como corante amarelo nos alimentos.
O que precisa de saber: pode causar reacções alérgicas em cerca de 15 por cento da população. Pode ser uma causa de ataques de asma e tem sido relacionado com a ocorrência da perturbação de hiperactividade em crianças. Aqueles que sofrem de asma, rinite e urticária podem sentir um agravamento dos seus sintomas após a ingestão.

 (fonte: http://futurambiental.com/aditivos-alimentares-que-devemos-evitar/)


Em suma, é praticamente impossível fugir por completo a todos estes aditivos alimentares. Ainda assim, devemos fazer um esforço e ler sempre os rótulos dos produtos que compramos, tentando fazer sempre a opção mais saudável.
Para saber mais sobre este assunto, pode consultar os seguintes sites:

UE: Europa Press
aditivos a evitar


Fonte: vchoiceblog.com

1 comentário:

  1. Boas informações, cada vez estou mais sensibilizada para deixar de ingerir alimentos com aditivos.
    Beijinho

    ResponderEliminar