terça-feira, 16 de julho de 2013

Almoço 16/07

Filetes panados no forno com linhaça,  arroz de brócolos e salada de alface


sábado, 6 de julho de 2013

Desculpe, meu amor pequenino!

Ela é P-E-R-F-E-I-T-A. Pura perfeição.
Linda e maravilhosa. Olhos gigantes, que querem devorar o mundo, impossível não ficar apaixonado por eles (e por ela!). Nariz perfeitinho, boca super bem desenhada. 
E o cabelo! Que cabelo lindo! Liso em cima, a acabar com uns caracóis saltitantes. Umas mechas de lado, que desde muito pequena se habituou a ajeitar elegantemente com o pescoço e a mão, como se estivesse num anúncio da Pantene.
Madeixas naturais, em mil tons de castanho, cabeleireiro algum no mundo fará igual!
Tudo isto aliado a uma personalidade vincada e gira, gira, gira! 

De há uns tempos para cá suava muito com o calor e eu achei que o cabelo não estava a ajudar. Por isso decidi cortar. E cortei há uma semana...mas bem mais do que queria.  Chorei.
Ficou mal. Que saudades que tenho do seu cabelo! Bem sei que cresce e que se calhar até fiz bem, mas a verdade é que chorei muito e ainda hoje lamento a minha decisão. Ficou sem metade dos caracóis (mas ainda lá estão!). Já não estão tão saltitantes.
Só espero que cresça rápido.

Por isso...meu amor pequenino, desculpe!! Eu adoro-a com um amor do tamanho do Universo que é infinito, e sinto que lhe fiz um mal, disfarçado de bem! Pode ser uma tonteria das hormonas pós-parto, mas quero que, se um dia vir 2 ou 3 fotografias com o cabelo estranho, saiba que a culpada fui eu mas que nunca quis menos para si do que o melhor! Mas sou só mãe e não Deus, e mexi na Sua perfeição. Eu sei que Ele vai repôr tudo,
     
a lição está aprendida!

Da mãe
I love You