segunda-feira, 16 de julho de 2012

Estrias: mitos e desmitos


São estradas compridas que rasgam a nossa pele numa viagem sem regresso. Encarnadas, brancas, arroxeadas, mais grossas ou menos grossas, feias são e feio tornam tudo o que as rodeia. Ou não.



Estrias, essas bandidas, que aparecem no nosso corpo sem serem convidadas. E que penetras mais inoportunas, que se exibem nos sítios errados!!

Muito ouvi eu falar destas senhoras. Até ganhar teoria própria, recolhi de tudo: desde avós/mães/tias que me diziam que deviam as suas peles lisas ao miraculoso creme gordo -"Barral", na altura era o que havia - e que nada melhor que massajar todos os dias com quantidades generosas; ou ainda que o óleo de amêndoas doces é que era; ou ainda que bastava beber 2 litros de água por dia que o milagre se dava também.


Fiquei convencida então que passaria uma gravidez oleosa e gordurosa, para que nem se notasse sequer que por lá tinha passado um baby. Que tontice a minha.

Até que o meu obstetra me diz que os cremes são coisas muito giras, que as mulheres gostam muito, mas que, neste campo, pouco ou nada podem fazer. O problema está na quantidade de colagénio que a pele produz, ou seja, há uma predisposição para ter estrias conforme a pele que se tem.


Com a experiência, digo que não podia concordar mais. Continuo a aplicar todos os dias Vasenol Creme Gordo (não aguento ficar oleosa e este tem uma fórmula de absorção rápida), mas porque é bom hidratar a pele e não porque tenha qualquer esperança de ficar sem as estrias que surgiram na base da barriga depois do parto. Durante a gravidez usei os melhores cremes que a Farmácia pode oferecer - não, não foi todos os dias, mas se tivesse sido todos os dias o resultado seria igual, ou muito pouco diferente.




E sabem que mais? No princípio foi difícil, mas agora já não me faz confusão nenhuma. Temos que reeducar a nossa maneira de ver a Beleza e agora olho para as minhas estrias na barriga (que quase não se notam, verdade seja dita) e sei que isso diz que por lá passou a Pilar, e que passarão os restantes que Deus me quiser mandar. 
Dizem que sou Mãe, contam uma história, tal como as rugas. 
E isso não pode ser motivo nem de vergonha nem é coisa para se esconder. 
É bonito, muito mais do que uma tatuagem, porque esta foi uma marca desenhada em nós pela Vida, implicando não só uma zona determinada, mas o corpo todo, o nosso organismo na totalidade, não só a parte física mas também psicológica e espiritual.


E fica a dica para produzir colagénio: 

2l de água + nozes + salmão + caju + ovos + espargos + aveia + cevada + tâmaras

1 comentário:

  1. http://www.sitiodamulher.com/alimentos-para-reduzir-a-gordura-abdominal - encontrei isto! ;') espero que seja uma boa ajuda.
    Bj

    ResponderEliminar